A Mulher Arrastada – 13º Prêmio Braskem em Cena

By / 3 meses ago / Eventos / No Comments

(Foto: Regina Peduzzi Protskof)

A partir de um episódio real ocorrido em 2014, o texto do dramaturgo Diones Camargo ganha força na direção de Adriane Mottola (Cia. Stravaganza) e na atuação contundente de Celina Alcântara (UTA – Usina do Trabalho do Ator), que interpreta a figura trágica de Cláudia Silva Ferreira – mulher negra e pobre que, após ser baleada por policiais quando saía de casa para comprar pão, teve o corpo arrastado pela viatura nesta lamentável ação da PM no Morro da Congonha (RJ).

Contrapondo o simbolismo evocado pelas “palavras-cicatrizes” ao horror do fato real, a peça instiga a reflexão acerca das barbáries a que a população periférica do país é submetida diariamente, e questiona o papel da mídia e da sociedade no processo de silenciamento de vozes que expõem e denunciam um sistema excludente e desigual ao apagarem o nome das vítimas, reduzindo-as a mera estatística, tal como ocorreu com “Cacau”, que passou a ser chamada pela impessoal e cruel alcunha de “mulher arrastada”.

A partir de um episódio real ocorrido em 2014, o texto do dramaturgo Diones Camargo ganha força na direção de Adriane Mottola (Cia. Stravaganza) e na atuação contundente de Celina Alcântara (UTA – Usina do Trabalho do Ator), que interpreta a figura trágica de Cláudia Silva Ferreira – mulher negra e pobre que, após ser baleada por policiais quando saía de casa para comprar pão, teve o corpo arrastado pela viatura nesta lamentável ação da PM no Morro da Congonha (RJ).

Contrapondo o simbolismo evocado pelas “palavras-cicatrizes” ao horror do fato real, a peça instiga a reflexão acerca das barbáries a que a população periférica do país é submetida diariamente, e questiona o papel da mídia e da sociedade no processo de silenciamento de vozes que expõem e denunciam um sistema excludente e desigual ao apagarem o nome das vítimas, reduzindo-as a mera estatística, tal como ocorreu com “Cacau”, que passou a ser chamada pela impessoal e cruel alcunha de “mulher arrastada”.

Ficha Técnica

Texto: Diones Camargo / Direção: Adriane Mottola / Elenco: Celina Alcântara e Pedro Nambuco / Cenografia: Isabel Ramil e Zoé Degani / Trilha Sonora Original: Felipe Zancanaro / Iluminação: Ricardo Vivian / Fotografia: Regina Peduzzi Protskof / Produção: Diones Camargo e Regina Peduzzi Protskof / Realização: Diones Camargo e LA PhOTO Galeria e Espaço Cultural / Apoio: Cia. Stravaganza e UTA – Usina do Trabalho do Ator.

Serviço

O quê: “A Mulher Arrastada”

Quanto: 19 e 20 de setembro de 2018, às 19h

Onde: Galeria La Fhoto, Travessa da Paz, 44, Farroupilha, Porto Alegre

Quanto: A partir de R$ 15,00

Contato: (51) 99963-0807

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *