Dia nacional da Umbanda será celebrado em Curitiba no Mês da Consciência Negra

By / 1 mês ago / Geral / No Comments

destaque(Foto: Divulgação)

Praticantes de religiões de matriz africana e afro-brasileira de Curitiba e Região Metropolitana se reunirão na quarta-feira do dia 15 de novembro, no Centro Histórico de Curitiba, para uma singela homenagem ao Dia Nacional da Umbanda. Haverá shows, intervenções artísticas, manifestações culturais populares e cortejo até as Gameleiras Sagradas Irôko – é um orixá muito antigo, simbolizado pelas árvores da Praça Tiradentes.

Por proposição da ONU, entre 2015 e 2024, celebramos a Década Internacional de Afrodescendentes, cuja pauta é “Reconhecimento, Justiça, Desenvolvimento e Enfrentamento às Discriminações Múltiplas ou Agravadas”.  A atividade faz parte das celebrações do mês da consciência negra e será realizada em parceria com a prefeitura de Curitiba. A programação completa possui, entre os dias 01 de novembro e 03 de dezembro, diversas outras ações de valorização e visibilidade da ancestralidade negra na formação cultural de Curitiba.

Objetivo do evento

Elevar, no dia nacional da Umbanda, vozes de paz e de respeito à diversidade religiosa, com os praticantes de religiões de matriz africana e afro-brasileira de Curitiba e Região Metropolitana. A expressão Xeto Maromba Xeto significa “braços fortes, pulsos firmes”. No dia 15 de novembro, ilês, axés, abassás, roças, casas e terreiros da Capital Paranaense e Região Metropolitana se unirão no centro histórico de Curitiba para celebrar o dia da Umbanda.

Para esse evento estão programadas apresentações musicais de atabaques, cânticos, danças e uma grande confraternização entre as religiões de matriz africana e afro-brasileira. Essa demonstração de Religiosidade e beleza tem por finalidade Fortalecer a nossa irmandade. Neste momento em que se proliferam ódios e intolerâncias, em que atiram-se pedras em nossos idosos e crianças, invocamos a força e a firmeza de nossos ancestrais para podermos enfrentar estigmas e preconceitos derivados de um profundo racismo enraizado em nossa sociedade, o qual encontra-se unido a manifestações que demonizam a nossa sagrada Umbanda (religião genuinamente brasileira) e todas as nossas nações de Candomblé.

Como bem disse Makota Valdina: “Não podemos falar de intolerância sem relacioná-la ao racismo praticado contra as religiões afro-brasileiras”. Houve um tempo em que nossas religiões foram proibidas por lei. Hoje o Estado é laico e tem o dever de proteger nossa liberdade de culto e de crença. Façamos com que as vozes da paz bradem mais forte que a intolerância. No dia 15 de novembro, nossa singela celebração vai agregar ao senso comum maior conhecimento a respeito de nossas raízes, tradições e manifestações de fé.

Venha de branco!  Traga seus colares e fios de contas! 
Vamos celebrar a maior dádiva do Espírito Santo: A VIDA!

Saravá, mukuiú, motumbá, kolofé!
Saudações de axé e n’guzo!

Programação

Concentração aos pés de Nossa Senhora da Luz, em frente à Casa da Memória, ao lado da Casa Caiada, a mais antiga do Largo e da Igreja da Ordem , e a terceira construída por mãos negras curitibanas (13h30min).

Subida em cortejo dos ogãs, curimbas e batuqueiros(as), dos nossos pais e mães de santos, das nossas Yalodês, Yalorixás, Babalorixás, Yabás, Ekedis e Ebomis, pelas rochas ígneas de basalto, passando pela antiga Igreja do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito e pela Fonte da   Memória, indo até as ruínas de pedra de São Francisco (e de sua inseparável amiga Santa Clara, que clareia nossas consciências mostrando um norte para vencermos as agruras da intolerância e do racismo) nas colinas conhecidas como Morro da Forca, nos primórdios de Curitiba (14h).

Coral popular entoando cantigas de Umbanda e de Candomblé nas escadarias das Ruínas (15h).

Cortejo até as Gameleiras Sagradas (Irôko) no marco zero, primeira praça da capital mais negra do sul do Brasil, próxima ao Marco do Pelourinho de Curitiba, em homenagem ao Irôko, à nossa ancestralidade negra e à Década Internacional de Afrodescendentes, proposta pela ONU para 2015 a 2024, cujo tema é Reconhecimento, Justiça, Desenvolvimento e enfrentamento às discriminações múltiplas ou agravadas (17h). Encerramento previsto para às 18h.

Maiores informações: Informativo: CentroCulturalHumaita.wordpress.com, do https://www.facebook.com/events/123122628401703/?ti=cl , ou pelo email xetomarombaxeto@gmail.com

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *