“Em defesa das vidas” Coalizão Negra Por Direitos protocola Impeachment contra Bolsonaro

Integrantes da Coalizão Negra Por Direitos no gramado da Esplanada dos Ministérios. (Foto: Pedro Borges/Alma Preta)

Por Alma Preta

Na manhã dessa quarta-feira, 12 de agosto, a Coalizão Negra Por Direitos protocolou o 56º pedido de Impeachment contra o Presidente da República, Jair Bolsonaro, o primeira da história do movimento negro. A ação foi seguida de um ato em frente a Esplanada dos Ministérios simbolizando às mais de 104 mil mortes decorrentes da COVID-19 e de assassinatos deliberados contra pessoas negras decorrentes do Estado.

Com a assinatura de 1.000 pessoas e apoio de mais de 600 organizações, o pedido de afastamento tem como denúncia central a negligência diante das vidas perdidas durante a pandemia do COVID-19. Além disso, prescreve 4 frentes de denúncia por crime de responsabilidade cometido por Jair Bolsonaro: ao exercício de direitos individuais, políticos e sociais; ao livre Exercício dos Poderes; à crimes contra a Segurança Interna e que intentam contra a Probidade Administrativa.

A advogada Sheila de Carvalho, especialista em direitos humanos, reforçou a negligência do chefe do executivo no combate ao coronavírus. “O Presidente da República não quer assumir a gravidade do que estamos vivendo, não quer realizar políticas para enfrentar essa gravidade, e ainda quer minar, de todas as formas, as políticas que estão sendo realizadas por outros atores do poder público.”

Veja imagens do ato simbólico:

Douglas Belchior, membro da Uneafro Brasil, destacou a importância do Presidente da Câmara discutir junto com a sociedade e com o Congresso os pedidos de Impeachment apresentados até aqui. “Não há justificativa para que o Congresso Nacional deixe de colocar em discussão o Impeachment. Temos provas e fatos objetivos que dizem respeito a postura do presidente em relação ao trato com a pandemia; sua responsabilidade no avanço da disseminação do vírus e da morte no Brasil, que afeta principalmente a população negra.”

A data simbólica, celebra os 222 anos da “Revolta dos Búzios”, onde negros escravizados, libertos e trabalhadores de Salvador lutavam para a construção de uma revolução democrática e popular. Além do ato presencial, foi realizado um twittaço simultaneamente, para mobilizar a opinião pública e aos Parlamentares sobre a o impedimento protocolado, com as hashtags #CoalizãoNegraPeloImpeachment e #ForaGenocída que geraram mais de 63 mil interações.

Assista a reportagem do Portal Alma Preta sobre nossa ação:

 

(Foto: Alma Preta)

 

(Foto: Ana Flávia Barbosa/Coletivo DUCA)

 

(Foto: Ana Flávia Barbosa/Coletivo DUCA)

 

(Foto: Ana Flávia Barbosa/Coletivo DUCA)

 

(Foto: Ana Flávia Barbosa/Coletivo DUCA)

 

(Foto: Ana Flávia Barbosa/Coletivo DUCA)

 

(Foto: Matheus Alves / Alma Preta)

 

(Foto: Matheus Alves / Alma Preta)

 

(Foto: Matheus Alves / Alma Preta)

 

(Foto: Rodrigo Pilha)

 

(Foto: Rodrigo Pilha)

 

(Foto: Ana Clara Adami)

 

(Foto: Ana Clara Adami)

 

(Foto: Ana Clara Adami)

 

(Foto: Ana Clara Adami)

Compartilhe

EXPLORE TAMBÉM

Voltar ao topo