Estudante haitiano é agredido em Foz do Iguaçu por questões políticas

foto_Getho-400x533

Foto: Divulgação

Getho Mondesir foi vítima de racismo e sofreu espancamento na manhã deste sábado (14/05) em Foz do Iguaçu. Segundo informações, Às 5h25 da manhã, Getho caminhava até o ponto de moto taxi. Seu plano era chegar à rodoviária para embarcar num ônibus que saíria da 6h da manhã, com destino a Cascavel, onde passaria o final de semana com seu filho de oito meses.

Um grupo de agressores que estava sentado numa mesa de bar, na Avenida Brasil, no centro da cidade, começaram a hostilizar o estudante ” Macaco, você só está aqui por causa da Dilma, mas agora você vai ter que voltar” diziam os agressores ainda não identificados. Getho não reagiu e apesar do pouco domínio da língua portuguesa, tentou iniciar um diálogo com o grupo. A reação deles foi chama-lo de macaco repetidas vezes e partir para a série de golpes com garrafas de cerveja.

Ainda no chão, Getho continuou sofrendo agressões. Ao escapar, correu até um ponto de taxi, onde foi reconhecido por um dos taxistas. O homem prestou os primeiros socorros, chamou a polícia e Getho foi encaminhado ao Pronto Socorro da cidade.

O estudante tem 33 anos e cursa o terceiro semestre de Administração Pública e Políticas Públicas, na UNILA – Universidade Federal da Integração Latino-americana.

Getho chegou do Haiti no dia 2 de maio de 2013 e em 2015 foi contemplado pelo programa Pró-Haiti, da UNILA. O programa oferece bolsas de estudo para imigrantes haitianos.

Fonte: Coletivo Mídia Livre

Compartilhe

EXPLORE TAMBÉM

Voltar ao topo