Haroldo de Souza chama jogador de “crioulinho” e Santos aciona departamento Jurídico

Após manifestações de repúdio ao comentário, emissora e narrador divulgaram declarações

Narrador Haroldo de Souza, durante a partida entre Grêmio e Santos. (Foto: Reprodução)

Do Coletiva.net

Quem acompanhava o jogo entre Grêmio e Santos, nesta quarta-feira, 3, pela transmissão da Rádio Grenal, testemunhou a seguinte indagação do narrador Haroldo de Souza: “Aquele crioulinho que tá lá na ponta esquerda do time do Santos, quem é ele?”. Após o repórter responder que o atleta era Lucas Braga, o comunicador seguiu: “Ah, o Lucas Braga que tá caído lá. É um moreno, né? Um moreno, cidadão de cor, numa boa”.

O vídeo da transmissão logo ganhou as redes sociais, com legendas que repudiavam os termos racistas ‘crioulinho’ e ‘de cor’, utilizados por Haroldo. A polêmica chegou ao conhecimento do Santos, que emitiu nota informando que seu departamento Jurídico “tomará medidas cabíveis” e ainda cobrou providências da Rede Pampa e da “comunidade que compõe a audiência” da Rádio Grenal.

A MMC Sports, empresa que representa o atacante, também se pronunciou afirmando que apoiará o jogador em “qualquer ação” dele. O texto ainda salientou: “Nos sentimos enojados de ter de responder a uma situação como essa, inexplicável em todos os sentidos”. Quem também se manifestou, por meio de seu Instagram, foi o colega de clube de Lucas Braga, e ex-jogador do Grêmio, Marinho, que chamou o narrador de racista e preconceituoso.

A Associação de Cronistas Esportivos Gaúchos (Aceg) se manifestou e pediu desculpas “ao jogador, ao clube e à sociedade”, em nome da categoria. A entidade destacou que foi um caso de racismo, condenando “veementemente” as declarações de Haroldo e afirmando que elas não são “bem-vindas”. A nota ainda afirmou: “O racismo não tem lugar na sociedade e cabe, também, à imprensa combatê-lo”.

Contraponto 

Após a repercussão do caso, que foi notícia em portais como Globo Esporte, UOL, Folha de São Paulo, Yahoo Esportes, ESPN, Terra, entre outros, a Rádio Grenal divulgou um posicionamento. A nota publicada nas redes sociais da emissora declara que: “A direção da Rádio Grenal não compactua com qualquer tipo de atitude discriminatória”. De acordo com o texto, a empresa atua “através do respeito a todos, sem exceção”.

Haroldo de Souza também tornou público um texto, em que diz: “peço desculpas se minha fala ofendeu alguém”. Conforme o narrador, “não houve intenção de racismo”, pois sua vida é pautada “pelo respeito a toda a sociedade”. Ele ainda afirmou: “Sou filho de negro-nego Benê. Sou casado com uma mulher da raça negra. Fui criado em meio aos negros. Criei uma escola de samba com todos integrantes negros, só dois brancos e um sarará”.

 Confira a nota de Haroldo de Souza na íntegra:

“Sou filho de negro-nego Benê.

Sou casado com uma mulher da raça negra.

Fui criado em meio aos negros.

Criei uma escola de samba com todos integrantes negros, só dois brancos e um sarará. 

Narrando futebol há 58 anos, muitas vezes disse:

“Quem é aquele neguinho lá na ponta”?

“Quem é aquele alemão ali no meio” ?

“E esse polaco aí quem é”?

Peço desculpas se minha fala ofendeu alguém, mas estejam certos que não houve intenção de racismo e que minha vida pessoal e profissional são pautadas pelo respeito a toda sociedade, aos jogadores e torcedores que fazem desse esporte um grande espetáculo.

Reitero minhas sinceras desculpas aos ouvintes que sempre nos acompanham e nos brindam com a sua audiência.”

Confira a nota da Rádio Grenal na íntegra:

“A direção da Rádio Grenal não compactua com qualquer tipo de atitude discriminatória a quem quer que seja, pautando sua atuação através do respeito a todos, sem exceção. 

Salientamos nosso apreço à sociedade em geral, sem qualquer tipo de discriminação.

Rádio Grenal

A rádio de todos”

Confira a nota do Santos F.C. na íntegra:

“O Santos FC não vem por meio desta apenas lamentar ou repudiar os termos racistas utilizados pelo narrador Haroldo de Souza, da Rádio Grenal.

Não cabem mais lamentos ou notas de repúdio sobre racismo em pleno 2021. Cabe ação e mobilização.

O Clube, através de seu Departamento Jurídico, tomará medidas cabíveis, da mesma maneira esperamos uma reação efetiva do veículo de comunicação empregador desse senhor e da própria comunidade que compõe a audiência de tal rádio.

É no silêncio, na omissão, na relativização frente ao preconceito que o racismo cresce silenciosamente e se estabelece de forma estrutural em nossa sociedade.

Basta de tolerância com racismo!

Basta!

Santos FC

#TimedeBrancoedePreto”

Confira a nota da MMC Sports na íntegra:

“A MMC repudia veementemente a maneira com a qual seu atleta, Lucas Braga, foi referido em transmissão oficial da Rádio Grenal no jogo entre Santos e Grêmio nesta quarta-feira.

Nos sentimos enojados de ter de responder a uma situação como essa, inexplicável em todos os sentidos. Acreditamos ser um extremo absurdo a forma com a qual o locutor Haroldo de Souza se referiu ao atleta, proferindo pronomes racistas e o fazendo com naturalidade.

A MMC reafirma que estará ao lado de seu atleta, prestando todo o apoio necessário, e endossando qualquer ac?ão que Lucas Braga queira tomar nesse momento.

E, mais uma vez, repudiamos a atitude e reforçamos que atos racistas não devem ser tolerados por ninguém, e que na?o basta o repúdio e o nojo a atos desse tipo, temos de tomar uma posição antirascista contra todos os atos dessa forma e gênero.

Estamos contigo, Lucas Braga.”

 Confira a nota da Aceg na íntegra:

“Nota de repúdio – Caso de racismo

A ACEG condena veementemente o episódio lamentável ocorrido na transmissão da partida entre Grêmio e Santos pela Rádio Grenal.

Na jornada esportiva, o narrador Haroldo de Souza, para identificar o jogador Lucas Braga, da equipe paulista, perguntou ao repórter que realizava a transmissão quem era o “crioulinho” que jogava pelo lado esquerdo. Após a resposta, ainda citou o atleta como “moreno” e “cidadão de cor”.

O racismo não tem lugar na sociedade e cabe, também, à imprensa combatê-lo. Declarações como a de hoje não são bem-vindas. 

Em nome dos cronistas esportivos do Rio Grande do Sul, pedimos desculpas ao jogador, ao clube e à sociedade.”

Compartilhe

Voltar ao topo