Índice de desenvolvimento humano de negros está 10 anos atrás do de brancos

By / 2 semanas ago / Economia / No Comments

IDHM de negros em 2010 é o mesmo de brancos em 2000 Leia a íntegra do estudo elaborado por Pnud, Ipea e FJP Cálculo considera taxas de longevidade, educação e renda.

marchamulheresnegras-868x644

Marcha das Mulheres Negras contra o racismo, em Brasília

Por Gabriel Hirabahasi, do Poder360

O IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) de pessoas que se autodeclaram negras chegou a 0,679 em 2010, mesmo patamar registrado para brancos em 2000 (0,675). Ou seja, o indicador aponta uma década de distância em taxas de longevidade, educação e renda (critérios que compõem o cálculo) entre populações de cores diferentes.

O índice é calculado pelo escritório do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) no Brasil, o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e a FJP (Fundação João Pinheiro). Foi divulgado nesta 4ª (10.mai.2017). Leia a íntegra do estudo.

O cálculo foi feito com base nos últimos 2 censos demográficos do IBGE (os de 2000 e de 2010), conforme a malha municipal existente em 2010. O indicador foi pensado a partir de 2012, adaptando-se a metodologia do IDH global para o IDH municipal e usando os mesmos critérios.

O indicador para a população negra subiu 28% entre os 2 últimos censos, de 2000 a 2010. O dos brancos cresceu 15%. A diferença caiu de 27,3% para 14,4%. Eis 1 gráfico que mostra a variação do IDHM no período:

Pnud, Ipea, FJP - 10.mai.2017

Reprodução/Pnud, Ipea e FJP – 10.mai.2017

IDHM POR REGIÃO

Em 2010, na média, o IDHM para os negros é menor na região Nordeste (com 0,637). No Centro-Oeste, essa taxa é maior, com 0,724. Os Estados com piores situações de desenvolvimento humano para a população negra são Alagoas (0,607) e Maranhão (0,620). Os 2 Estados já ocupavam as últimas duas colocações em 2000, com 0,426 (AL) e 0,450 (MA).

idhm-por-regiao-10mai2017

MÉDIA SALARIAL

Segundo o estudo, brancos recebiam 115,5% a mais, em média, do que negros em 2010. Enquanto uma pessoa branca recebe, em média, R$ 1.097 por mês, 1 negro recebe R$ 508,90. O valor era ainda menor em 2000, quando a média salarial dos negros era de R$ 327,30 –a dos brancos era de R$ 808,36.

Reprodução/Pnud, Ipea e FJP - 10.mai.2017

Reprodução/Pnud, Ipea e FJP – 10.mai.2017

COMO DEFINIR A COR

O estudo “Desenvolvimento Humano para Além das Médias”, realizado pelo Pnud Brasil, Ipea e FJP, afirma que “a variável cor não está relacionada somente aos atributos físicos das pessoas. Além de possuir múltiplas categorias, não possui 1 limite rígido que permita a inclusão de uma pessoa numa categoria ou noutra, podendo variar conforme valores e concepções as mais variadas.”

Pelo fato de depender da autodeclaração, essa definição de etnia esbarra na identidade da população negra. Segundo os pesquisadores, porém, “constatou-se o desenvolvimento, ao menos nos últimos 20 anos, de 1 processo de valorização da ascendência negra, refletido no crescimento relativo de 31% nas autodeclarações desta população, em 2010.”

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *