Marcelo 7 Cordas lembra como eram os carnavais que deixaram saudade

By / 3 meses ago / Diversão / No Comments

Carnaval (Foto: Rony Costa, Divulgação)

Por Edsoul, do NSC

O que era pra ser uma frustração mútua de milhares de pessoas, se transformou num exemplo de que é na superação que se dá o espetáculo. A propósito, este carnaval que está prestes a começar tem a palavra superação como abre-alas de todos os enredos. O carro de som que arrastaria a multidão pintada de amarelo, vermelho e branco na Praça XV na última sexta-feira teve pane e impossibilitou que o desfile da Embaixada Copa Lord fosse amplificado durante o percurso. O que aconteceu depois da falha dos equipamentos foi narrado com muita perfeição pelo diretor de acervo da Liga das Escolas de Samba da Grande Florianópolis. A agremiação do Monte Serrat volta à praça no próximo dia 1° de fevereiro, às 20h30min, para um novo ensaio.

Por conta dos fatos, publico este texto do amigo Marcelo 7 Cordas que nos remete aos carnavais que deixaram saudades:

“Para todos nós, apaixonados pelo Carnaval, a Embaixada Copa Lord deu uma verdadeira aula de história ao fazer o tradicional trajeto dos ensaios em torno da Praça XV, como eram organizados no passado (na década de 60 e início da década de 1970), cantando o samba no ‘gogó’. Isso ocorreu devido a um problema no carro de som que acompanha todo o percurso dos ensaios, amplificando a voz dos intérpretes e seus respectivos apoios (cantores), o que abriu a possibilidade de se fazer uma viagem histórica, a partir da performance apresentada pela ‘Mais Quirida’.

Foi o canto ávido dos foliões, o samba no pé, a garra, o suor e as lágrimas incontidas diante das adversidades que engrandeceram mais este evento do ‘Carnaval da União’ organizados pela Liga das Escolas de Samba (LIESF) e as agremiações do grupo Especial. Um Carnaval, desde o início, diga-se de passagem, de superação. Um misto de alegria e tristeza, dor e emoção foram os ingredientes mágicos que fizeram desta última sexta-feira uma ponte entre o passado e o futuro, revivendo um protagonismo do sambista e do folião, dos homens e mulheres que produzem ano a ano o Carnaval de Florianópolis, muitas vezes esquecidos entre grandes estruturas metálicas e holofotes.

A Embaixada Copa Lord fez reluzir seu brilho em cada rosto que a viu passar e transformou-o em ouro, pois essa é a magia do Carnaval. Nesta alquimia sublime de amor e emoção quem ganha somos todos nós, que pudemos mais uma vez caminhar entre as linhas que separam passado e presente, temporalidades distintas que, de certa forma, nos fazem ser um só corpo. Parabéns a Embaixada Copa Lord e sempre o meu máximo respeito a sua história”.

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *