Morre fotógrafo Edison Martins Castêncio, o paparazzo gaúcho

Bajeense faleceu neste final de semana e seu corpo foi sepultado em sua cidade natal


Castêncio – (Reprodução/Arquivo pessoal)

Do Coletiva.net

O fotógrafo Edison Martins Castêncio, conhecido como o paparazzo gaúcho, morreu na madrugada deste domingo, 3. Ele estava com 63 anos e seu corpo foi velado e sepultado ontem no cemitério em Bagé, sua cidade natal. Ele deixa a mulher, Lucia Castencio, e duas filhas. Também chamado de Sorriso por amigos e colegas, o profissional ficou conhecido por ser o fotógrafo pessoal da ex-presidente Dilma Rousseff.

A história de Castêncio como fotógrafo se iniciou nos anos 1980, quando foi retirado das ruas de Porto Alegre, onde sobrevivia como flanelinha, por Dilma e seu então marido, Carlos Araújo. O futuro fotógrafo fez amizade com o casal, que era assessor do PDT no Rio Grande do Sul. Assim, tornou-se office-boy no gabinete de Carlos Araújo, quando este era deputado estadual.

Em 1987, ao fazer uma fotografia para Araújo, foi chamado para fazer registros para a família e para situações profissionais. E, assim, durante as três décadas seguintes, acompanhou Dilma em diversos momentos, como a participação no governo de Alceu Collares; a Secretaria de Estado da gestão Olívio Dutra; o ministério de Minas e Energia, o governo Lula e a Presidência da República. Castêncio chegou, inclusive, a ter sua trajetória estampada nas páginas da revista Isto É.

Compartilhe

Voltar ao topo