Não há evidência de envolvimento externo em ataque a boate gay na Flórida, diz Obama

By / 3 anos ago / Mundo / No Comments

Atirador Omar Mateen ‘foi inspirado por diversas informações extremistas disseminadas na internet’, disse Obama, que criticou política de venda de armas

Barack Obama fez nesta segunda-feira (13/06) um pronunciamento sobre o ataque à boate gay em Orlando, na Flórida

Barack Obama fez nesta segunda-feira (13/06) um pronunciamento sobre o ataque à boate gay em Orlando, na Flórida

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou nesta segunda-feira (13/06) que, até o momento, não há evidências de que o ataque a uma boate gay em Orlando na madrugada deste domingo (12/06), que deixou 49 mortos e ao menos 53 feridos, tenha sido planejado no exterior. Segundo Obama, trata-se de um caso de “extremismo doméstico” com inspiração em propagandas veiculadas na internet.

“Não vemos nenhuma evidência clara de que ele [o atirador Omar Mateen] foi comandando pelo exterior”, disse Obama em pronunciamento na Casa Branca. “Parece que, no último minuto, ele anunciou obediência ao EI, mas até o momento não há evidências de que ele foi de fato dirigido pelo EI, e até esse ponto não há evidências diretas de que ele fazia parte de um plano maior.”

De acordo com o presidente norte-americano, Mateen, aparentemente “foi inspirado por diversas informações extremistas que foram disseminadas na internet”. O grupo EI (Estado Islâmico) reivindicou, por meio de seu canal de rádio, a autoria do ataque.
“O máximo que podemos dizer agora é que [o ataque à boate gay] é certamente um exemplo do tipo de extremismo doméstico com que todos nós temos nos preocupado há muito tempo”, declarou Obama.
Homem armado é preso a caminho da Parada Gay de Los Angeles

Grupo Estado Islâmico reivindica ataque e diz que autor é ‘soldado do califado’

Entidades e líderes mundiais condenam ataque a boate gay em Orlando; veja repercussão

Obama disse ainda que é necessário rever a política de venda de armas nos EUA, assunto que é pauta do seu governo. A investigação apontou que Mateen comprou as duas armas usadas no ataque legalmente. “Pensamos que é terrorismo e ignoramos o problema que temos com as armas. Temos que ir atrás das organizações terroristas e extremistas, mas também temos que nos assegurar que para esta gente não seja fácil obter esse tipo de armas”, afirmou.

Repercussão

Líderes mundiais e entidades internacionais condenaram o ataque. “Condeno com a maior força possível os ataques atrozes de extremistas violentos contra pessoas inocentes, escolhidas ao acaso, ou por causa de suas supostas crenças, opiniões ou — como vimos ontem — por sua orientação sexual”, disse o Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al Hussein.

Por meio de um comunicado, o governo do presidente interino do Brasil, Michel Temer, disse que recebeu “com profunda consternação e indignação” a notícia do ataque à boate gay. O texto não fez referência ao fato de que o local era voltado ao público homossexual.

Em nota, a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, disse que “essa tragédia não é apenas para o povo norte-americano, mas para o mundo inteiro — como são todos os massacres de pessoas mortas por sua fé, por sua orientação sexual, por suas convicções, em todos os países”.

Fonte: Opera Mundi

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *