Natal dos orixás: terreiro de candomblé cria árvore para exaltar ancestrais

By / 4 semanas ago / Cultura / No Comments
No terreiro Casa Branca, galhos de pinheiros, bolas de natal e estrela de Davi foram substituídos por símbolos de matriz africana
Árvore de Natal do terreiro Casa Branca substitui símblos cristãos, resgata ancestrais e exalta presente e futuro do candomblé (Foto: Alexandre Lyrio/CORREIO)

Por Alexandre Lyrio, do Correio da Bahia

No lugar dos galhos dos pinheiros, tiras de mariô, taliscas desfiadas a partir do olho do dendezeiro. No lugar das bolas de vidro, recortes de fotos de ancestrais. No lugar da estrela de Davi, uma casa, barracão de culto aos orixás. A árvore de Natal do Terreiro Casa Branca, no Engenho Velho da Federação, é uma exaltação à ancestralidade.

“Nosso Natal é dedicado aos ancestrais, às pessoas que acreditamos, que preservamos. Todo símbolo sagrado nos leva a pensar nos ancestrais”, afirma Gersonice Azevedo Brandão, a Mãe Sinha, uma das sacerdotizas mais importantes da casa. A árvore é sustentada por beribas, madeira usada para fazer berimbaus.

Equede Sinha e jovens da Casa Branca no Natal dos orixás: ‘Tempo de renovação da fé nos ancestrais’

Na base, duas cabaças, que amplificam o som do instrumento, e uma talha ou “quartinha”, usada para colocar água. Penas de pavão de obrigações para Oxóssi, conchas e búzios enfeitam ainda mais a árvore. Nas laterais, esculturas de Xangô, patrono da Casa Branca, e dos Ibejis. A casa do topo, aliás, simboliza justamente a Casa Branca, mãe de todos os terreiros de candomblé.

“Pensei em fazer uma árvore que utilizasse materiais de árvores sagradas do candomblé e elementos da capoeira. É uma grande árvore de resistência e de identidade cultural”, diz o fotógrafo e produtor cultural Dadá Jaques, que é mobá de Xangô de outro terreiro, o Aganju. Idealizador da árvore, Dadá ensina capoeira na Casa Branca através do Projeto Mandinga, que tem um núcleo no terreiro. Foram os alunos de capoeira do Mandinga que o ajudaram a montar a estrutura.

Detalhe das ‘bolas’ de Natal da árvore. Imagens de personagens ancestrais que fundaram a Casa Branca

A árvore homenageia não só quem já se foi. As “bolas” mostram imagens de filhos de santo do presente e de crianças e jovens do projeto, representando o futuro. “É quase uma árvore genealógica. Aí estão os que fizeram e fazem parte da nossa história religiosa e também os que farão o futuro”, explica Sinha.

Com a árvore montada, a Casa Branca antecipou o Natal e reuniu doações para instituições de caridade. No final das contas, o sentimento de solidariedade em relação ao Natal cristão é bem parecido, já que a ideia de renovação também está presente no candomblé. “Para mim, o Natal é sempre uma chance de se renovar os votos de preservação da nossa ancestralidade, da nossa árvore ancestral”, diz a ialorixá.

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *