O incendiário

Por Paulo Luiz Rodrigues*

“Tenho vinte e cinco anos

De sonho

De sangue e

De América do Sul”

[trecho de música de Belchior]

Pois o DataPaulo, aquele blog que, junto com outros blogs, sites e jornais internacionais,  também fez parceria com o site The Intercept para divulgação de material das entranhas dos podres poderes da nação, vem a público, no meio do fogaréu da Amazônia, dizer que os povos ribeirinhos, tribos indígenas, animais e plantas não mereciam tamanho desrespeito e descaso do desgoverno ora presente! Desde antes das falsas eleições, se disse que a Amazônia seria dizimada, que quilombolas e indígenas não teriam descanso, mas não acreditaram, nunca se imaginou que chegariam a tal ponto! Tal qual na fábula que dizia que primeiro o gato subiu no telhado, eles disseram que a terra era plana; depois disseram que o pulmão do mundo são os oceanos, não a Amazônia; simultaneamente, desativaram os órgãos de controle da Amazônia e incentivaram grandes madeireiros a adentrarem a mata. Resultado dessa subida ao telhado: o gato foi incendiado!

O incêndio traz sofrimentos a todos! Isto era o mínimo que se dizia nas mesas do bar situado às margens da Rodovia Transamazônica, no coração da Amazônia. O bar era com mesas de tábua bruta, sem pintura, e o chão era de terra batida, e quando os caboclos jogavam um gole de cachaça para o santo, logo se infiltrava no solo. Foi momento triste quando os repórteres e estagiários do DataPaulo mostraram fotografias de animais, muitos com seus filhotes, queimados, tentando sair do meio das chamas. Animais e plantas tombaram no meio do fogaréu! E o desgoverno dizendo que tudo aquilo era fake news, mas eu estive lá, eu fotografei aquilo, dizia nosso repórter, como podem dizer que era fake news?

Muitos caboclos não entendiam como pessoas que diziam que estavam combatendo a corrupção eram os próprios corruptos. Um caboclo chegou a dizer que acompanhava todos os dias na televisão que o governo anterior praticou pedaladas fiscais, comprou apartamentos com dinheiros mal havidos. Como que os que assumiram agora para combater toda aquela anarquia não estavam conseguindo combatê-la? Outros caboclos ainda disseram que já tinham ouvido falar num tal de justiceiro que tinha assumido cargo importante no novo governo justamente para acabar com a corrupção do passado. Como é isso? Os caboclos queriam que os repórteres do DataPaulo explicassem essa situação.

Muitas coisas estão por baixo dos panos neste jogo! Assim começou a resposta dos nossos repórteres aos caboclos. Muitos interesses estão em disputa! Mas, principalmente, muita corrupção! Homens e mulheres que estão em cargos que exigem conduta imparcial e análise de fatos com provas documentadas agem de forma a não respeitar estes princípios! Foi fartamente documentada em jornais e revistas acusação feita no Congresso Nacional onde congressista disse ao entrevistado que ele entraria para os anais da história do país como um juiz corrupto e ladrão. E esta forma de agir e de se comportar levou muita gente, nas capitais, a se referir às autoridades com o termo “com o supremo com tudo”, numa clara alusão de que até no Poder maior há suspeição de não agirem conforme o esperado!

Meus amigos, disse outro repórter aos caboclos, depois que nos associamos à rede formada pelo site The Intercept tivemos acesso a material de fazer tremer os bastidores do Poder. É material escrito, áudio, e imagens que mostra como representantes do Poder agem nos bastidores, e como decisões simples que são noticiadas nos jornais todos os dias são tramadas nos bastidores. Há de tudo nos bastidores: compra e venda de depoimentos, combinação de falas; supressão ou acréscimo de falas; ameaças a parentes como forma de obter resultados; e acertos variados. Só depois disto a notícia sai nos jornais matutinos! Ah, ou só depois destes acertos, projetos são votados nos diversos Tribunais de Justiça! Nossa experiência com o The Intercept tem nos mostrado que política não é para amadores! Muita gente que passa por boazinha nos jornais matutinos, nos bastidores, fazem terríveis negociatas!

Outro repórter fala aos caboclos que eles serão os primeiros a sofrer os efeitos da destruição que ora é promovida da Amazônia. Sem a vegetação exuberante, rios irão secar. Peixes irão sumir. Empregos já escassos irão rarear!

E o que vocês do DataPaulo e do The Intercept propõem? Perguntou um dos caboclos antes de pedir mais um copo de cachaça.

Nosso bravo estagiário, rapaz atento e observador, amante da política e da boa música, disse aos caboclos que “o futuro pertence àqueles que acreditam nos seus sonhos!” e que o DataPaulo e o The Intercept, ao longo do tempo em que vêm publicando seus materiais, têm tentado apresentar respostas e propostas a esta indagação, mas uma coisa temos observado, tanto analisando o material hoje em mãos do The Intercept, quanto analisando a história ao longo dos séculos passados: temos uma elite corrupta de ponta a ponta, que sempre pensou e arquitetou privilégios para si e desigualdades para os outros, que sempre pensou em acumular direitos e vantagens para si e obrigações e tributos para os outros. Precisaríamos interromper este ciclo!

“Num tempo

Página infeliz da nossa história

Passagem desbotada na memória

Das nossas novas gerações

Dormia

A nossa pátria-mãe tão distraída

Sem perceber que era subtraída

Em tenebrosas transações…”

[Vai passar – Chico Buarque]

 

*Blogueiro, analista social e político.

Compartilhe

Voltar ao topo