Poemas de Oliveira Silveira na voz do Sopapo Poético

 

Do LRS

Escrito originalmente entre 1972 e 1987, Poema sobre Palmares, de Oliveira Silveira, ganha uma nova edição pela Alternativa acrescida de CD com leituras dramáticas realizadas pelo coletivo Sopapo Poético.

Na obra, Oliveira Silveira conduz o leitor a uma reflexão histórica através de seus versos ricos de metáforas e simbolismos. “Para Palmares veio negro / Que não gemia nos açoites.” Na apresentação da obra, os “sopapeiros”, ao se referirem aos versos citados, assim escrevem: “(…) Esses versos nos impactam pela sua carga significativa. Resistência na dor, pela raiva e indignação que alimentavam o desejo de liberdade. Resolvemos registrar em áudio para públicos mais amplos desfrutarem da sonoridade e do ritmo encontrados nas estrofes desse Poema. Entregamos ao público este trabalho para que através da poesia oral e da música nos conscientizemos da importância dessa resistência, como foram outras que ainda estão esperando para serem devidamente reconhecidas”, defende o grupo.

O registro da leitura dramática de Poema sobre Palmares foi feita pelo grupo Palmarinos, formado por Marieta Silveira, Jorge Fróes, Lilian Rocha, Kyzzy Barcelos, Vladimir Rodrigues, Fátima Farias e Sidnei Borges. Violão, efeitos e arranjos musicais de Vladimir Rodrigues e participações especiais de Pâmela Amaro (coros, percussão e cavaquinho) e Naiara Silveira (coros). A captação, mixagem e masterização são assinadas por Rick Carvalho, da Graviola Studio, e a direção da leitura dramática é de Marieta Silveira. O CD foi gravado entre julho e agosto de 2018. A realização é do Sopapo Poético e da Associação Negra de Cultura. O projeto foi contemplado pelo Edital de Seleção Pública nº 01, de 26/04/2018, Culturas Populares: Edição Selma do Coco, financiado pela Secretaria Especial da Cultura/Ministério da Cidadania /Governo Federal.

Sobre Oliveira Silveira

Nascido em Rosário do Sul em 1941 e graduado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Oliveira Ferreira Silveira foi um dos responsáveis pela transformação do 20 de novembro no Dia Nacional da Consciência Negra. Autor também de Geminou (1962), Poemas Regionais (1968), Banzo Saudade Negra (1970), Décima do Negro Peão (1974), Praça da Palavra (1970) e Pelo Escuro (1977), morreu de câncer, aos 68 anos, em 2009, em Porto Alegre.

 

Poema sobre Palmares
Oliveira Silveira
Poesia
40 p.
14 cm X 21 cm
R$ 30
978-85-93043-79-6
Inclui CD
Editora Alternativa

Compartilhe

EXPLORE TAMBÉM

Voltar ao topo