Proposta de testes na África revolta Eto’o e Drogba: ‘Não somos cobaias’

Na França, médicos sugeriram testar vacinas contra o coronavírus no continente africano. “Filhos da p…”, rebateu ídolo camaronês

Drogba e Eto’o em ação em 2014. (Foto: Mike Egerton/Getty Images)

Da Redação, da RV

Uma proposta de realizar testes de vacina de coronavírus na África enfureceu dois dos maiores jogadores nascidos no continente, o camaronês Samuel Eto´o e o marfinense Didier Drogba, ambos aposentados. A polêmica teve início em um progarma da emissora francesa LCI, quando os médicos Jean Paul Mira, chefe do serviço de reanimação do Hospital Cochin de Paris e Camille Locht, diretor de investigação do Iserm, instituto de saúde e investigação médica, debatiam sobre a possibilidade de realizar estudos na África.

“Isso pode ser polêmico, mas não deveríamos fazer um estudo na África, onde as pessoas não usam máscaras nem tratamentos de reanimação? Isso acontece em casos de Aids, onde prostitutas são usadas para testar certas coisas, porque sabem que estão muito expostas e não têm proteção”, comentou Mira “Tem razão. Estamos pensando em um estudo paralelo na África de forma similar. Creio que já exista uma petição para isso. Também não descartamos realizar estudos na Europa ou na Austrália”, respondeu Lotch.

O primeiro jogador e rebater as declarações foi o franco-senegalês Demba Ba. “Bem-vindos ao ocidente, onde um branco se crê tão superior que o racismo e a debilidade se tornam banais. É hora de nos levantarmos!”, escreveu Ba, no Twitter. Samuel Eto´o, então, respondeu ao ex-colega de Chelsea, sem meias palavras. “Que filhos da p….”

Didier Drogba foi mais diplomático, mas também demonstrou sua revolta.  “É inconcebível que continuemos aceitando isso. A África não é um laboratório. Eu denuncio fortemente essas observações sérias, racistas e desdenhosas! Ajude-nos a salvar vidas na África e impedir a propagação deste vírus que está desestabilizando o mundo inteiro, em vez de nos considerar como cobaias. Isso é um absurdo! Os líderes africanos têm a responsabilidade de proteger as pessoas dessas tramas hediondas”, desabafou o ídolo do Chelsea.

Compartilhe

Voltar ao topo