‘Sergio Camargo, você é a escória da sociedade’

Em artigo, Nuno Coelho, ativista do Movimento Negro e ex-dirigente da Fundação Cultural Palmares repudia as declarações do atual presidente do órgão, que segue contrariando os princípios e a luta do movimento negro no Brasil

Sérgio prossegue desqualificando o trabalho e história do povo negro brasileiro. (Foto: HP/Divulgação)

Por Nuno Coelho

Na qualidade de ex-dirigente da Fundação Cultural Palmares e ativista do Movimento Negro há quase duas décadas, recebo com perplexidade e afronta as novas manifestações de Sérgio Camargo, presidente da Fundação Cultural Palmares, ao classificar o movimento negro como “escória maldita” e nominar Zumbi de “filho da puta que escravizava pretos” em áudio vazado.

O Movimento Negro é uma forma de sintetizar todas as reivindicações ao longo da História pelos direitos da população negra, que sofre há séculos com o racismo estrutural e suas consequências. Mobiliza milhões de pessoas em busca da igualdade e do respeito ao povo negro.

Como fruto da nossa luta histórica prestes a completar 32 anos, a primeira instituição pública voltada para promoção e preservação dos valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira a (FCP) merece uma autoridade capaz de preservar seu legado e respeitar a memória dos que por ela lutaram bravamente.

Considero, inapropriada, tais manifestações recorrentes de arte do atual presidente, desviando-se de suas atribuições, tornando-se assim, incapaz para o cargo que ocupa.

Viva o Movimento Negro! Viva a FCP! Viva Zumbi dos Palmares, herói Nacional! #VidasNegrasImportam!

*Nuno Coelho: Ativista do Movimento Negro, Ex-dirigente da Fundação Cultural Palmares.

Compartilhe

Voltar ao topo