Sopapo Poético é tema de seminário na Ufrgs

Tradicional roda de poesia e música, que valoriza o protagonismo negro, é tema de investigação científica de quatro jovens pesquisadores (as) gaúchos (as)

Liziane Guedes (da esquerda), Pâmela Amaro, Taiasmin Ohnmacht, Pedro Acosta, apresentam suas pesquisas. (Foto: Divulgação)

Com a Redação, do NZ

Uma das mais populares e frequentadas rodas de poesia e música de Porto Alegre – o Sarau Sopapo Poético, tornou-se fonte de pesquisa científica para quatro jovens pesquisadores negros ligados à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Estes estudos, fruto da observação, investigação e análise, serão apresentados ao público no Seminário Sopapo Poético, a se realizar na UFRGS.

A realização é fruto da parceria entre a Associação Negra de Cultura (ANdC) e o Departamento de Educação e Desenvolvimento Social da Pró-Reitoria de Extensão da Ufrgs (DEDS). O Seminário integra as ações do sarau Sopapo Poético – Ponto Negro da Poesia, projeto que foi contemplado pelo Edital de Seleção Pública nº 01, de 26/04/2018, Culturas Populares: Edição Selma do Coco, financiado pelo Ministério da Cultura/Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural/Governo Federal.

Participam do Seminário Sopapo Poético, os seguintes pesquisadores: Pâmela Âmaro, que irá abordar o tema “Sarar – Sopapar – Aquilombar: O Sarau como experiência educativa da comunidade negra em Porto Alegre”; Taiasmin Ohnmacht, com o tema “Do laço social ao corpoema: Enlaces entre negritude e psicanálise”; Liziane Guedes, com “Sarau Sopapo Poético – Ponto Negro da Poesia – Fios de prata conectando a negritude em Porto Alegre, ePedro Rosa Acosta com a pesquisa “O Sopapo Poético e o Slam: Agência, performance e musicalidade”.  

Sobre as pesquisas

“Do Laço Social ao Corpoema: Enlaces entre Negritude e Psicanálise”

Nesta pesquisa de mestrado em Psicanálise, Taiasmin da Motta Ohnmacht articulou os temas negritude, racismo e linguagem poética. O método, objetivos e resultados foram produzidos a partir da escuta/análise das narrativas poéticas que o sujeito negro produz quando assume o lugar de enunciação, uma enunciação que se dá em torno do significante negro, e que ao narrar, fala de si, do outro e da Cultura.

Taiasmin da Motta Ohnmacht é psicóloga, psicanalista e escritora. Pós-graduada em assessoria linguística e revisão textual (FAPA) e mestre em psicanálise: clínica e cultura (UFRGS). É autora do livro “Ela Conta Ele Canta” (Cidadela, 2016), em parceria com o poeta Carlos Alberto Soares, e da novela “Visite o Decorado” (Figura de Linguagem, 2019). Foi relacionada no catálogo Intelectuais Negras Visíveis (Malê, 2017), lançado na FLIP.

“O Sopapo Poético e o Slam: Agência, performance e musicalidade”

Pedro Rosa Acosta apresenta relato de experiência que é parte do trabalho de campo etnográfico musical realizado entre 2016 e 2018. Os dados apresentados fazem parte de buscas feitas na Internet, de entrevistas realizadas na Rádio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, de diários de campo de eventos que participou no Sarau Negro Sopapo Poético e entrevistas semiestruturadas com os mestres de saraus e com os slammers. As narrativas apresentadas ajudam a pensar em um Etnomusicologia Negra a partir da experiência do trabalho de campo.

Nascido no Campo da Tuca, Zona Leste de Porto Alegre, Pedro Acosta é doutorando em Etnomusicologia, mestre em Etnomusicologia (Ufrgs). Especialista em Educação Musical (Feevale), graduado em Licenciatura em Música (IPA). Professor de Música da rede municipal e estadual de ensino em Porto Alegre. Integrante do Ponto de Cultura Campo da Tuca. É músico, produtor, oficineiro e educador social e pesquisador do Etnomus Ufrgs – Grupos de Estudos em Música do Brasil e  América Latina

“Sarau Sopapo Poético – Ponto Negro da Poesia: Fios de prata conectando a negritude em Porto Alegre”

A pesquisa de Liziane Guedes da Silva investigou a articulação entre arte, negritude, subjetividade e território, a partir dos encontros do Sarau Sopapo Poético, de mar a jun/2018.  Através da arte negra de resistência e da ancestralidade, o sarau constrói um território de existência, de produção de vida e fortalece a negritude, dos/as pequenas/os às/aos mais velhas/os. O protagonismo das mulheres negras confere ao espaço um tom de matriarcalidade.

Liziane Guedes da Silva é mestranda em Psicologia Social e Institucional (Ufrgs), compondo os grupos de pesquisa NUPSEX e É’LÉÉKO. Psicóloga (Ufrgs). Faz parte do grupo Adinkra Coletivo de Psicólogas/os Negras/os. Atua como psicóloga clínica e formações.

“Sarar – Sopapar – Aquilombar: O Sarau como experiência educativa da comunidade negra em Porto Alegre”

Pâmela Âmaro possui graduação em Teatro Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro negro, teatro educação, quilombo porto alegre e teatro musical.

Sobre o Sopapo Poético

O sarau SOPAPO POÉTICO – Ponto Negro da Poesia é um encontro mensal promovido pela Associação Negra de Cultura (ANdC), sempre na última terça-feira do mês. Como outros saraus afro-brasileiros, desde 2012, evoca o protagonismo negro, em uma roda de atuações, reflexões e de convivências, reunindo artistas, pensadores e simpatizantes da cultura negra de resistência.

Serviço

O quê: “Seminário Sopapo Poético: com Pâmela Amaro, Taiasmin Ohnmacht, Liziane Guedes e Pedro Rosa Acosta”

Quando: 03 de setembro de 2019, terça-feira, das 18h30 às 21h30.

Onde: Auditório Ipê e hall adjacente, Centro Cultural da UFRGS, rua Eng. Luiz Englert, 333, Farroupilha, Porto Alegre

Quanto: Entrada franca

Contatos: sopapo.poetico@gmail.com

(51) 99365-3315 – 99117-4559 – 99317-6497 – 99218-5449 – 986320145 (Silvia)

Realização: Associação Negra de Cultura – ANdC, Departamento de Educação e Desenvolvimento Social – Pró-Reitoria de Extensão da Ufrgs (DEDS)

Apoios: Cine Kafuné | SINDIPETRO – Sindicato dos Petroleiros, Boteko do CANINHA (Areal da Baronesa), Negrestyle – design gráfico Centro Cultural da UFRGS, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte – SMDSE

Compartilhe

EXPLORE TAMBÉM

Voltar ao topo