Tayane do Canto é eleita a Garota Black Beauty Radar de 2017

By / 3 meses ago / Estilo / No Comments

WhatsApp Image 2017-07-23 at 22.33.22A jovem Tayane do Canto comemora a conquista. (Foto: Rádio Kamba)

Da Redação

Com grande sucesso, foi realizada na noite de 13 de julho, em Criciúma SC, no Teatro Elias Angeloni, a grande final do concurso de beleza negra Garota Black Beauty Radar edição 2017, com um público de mais de 300 pessoas, tendo sido escolhidas, em primeiro lugar Tayane do Canto, em segundo lugar Joice Santana e em terceiro lugar Izabel Silveira. A primeira colocada recebeu um prêmio em dinheiro de R$ 1.200,00 e também irá realizar ensaio fotográfico como modelo da coleção de verão de 2018 para a marca afro Diva’s Black.

Na fase de idealização do evento, a organização foi em busca de parceiros para realizar o concurso. Foi firmada a parceria com o Projeto Entre Dois Mundos, fundado por Beatriz Vargas do projeto que trabalha com transição capilar. Em seguida concretizou-se o apoio da COPIRC – Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial de Criciúma e de outros parceiros privados que ofereceram cursos, produtos de beleza para cabelo e corpo, salienta Lidiane, organizadora do concurso. Depois dessa fase, a organização trabalhou durante quase sete meses realizando visitas nos bairros de Criciúma atrás da beleza negra escondida, por isso o nome Radar, explica. No decorrer desse tempo, foram feitas etapas seletivas, em que foram selecionadas meninas de 15 a 25 anos residentes em Criciúma e pertencentes à etnia negra. O concurso teve 65 inscritas e, na final regional foram selecionadas 12 finalistas sendo escolhidas duas meninas por região. A grande final elegeu então três candidatas que foram premiadas, destaca Lidiane.

O concurso idealizado pelos afroempreendedores: Lidiane Serafim Francisco, Jeniffer de Oliveira, Franklin dos Passos, sócios da confecção feminina Diva’s Black, tem o objetivo estratégico de fortificar a marca de roupas no mercado, pois sua linha atende a consumidoras negras.   As jovens negras encontram valor nas roupas e se apropriam de sua identidade, o que eleva o nível de sua autoestima, sobretudo em um contexto que as exclui e impõe padrões de beleza europeus.

 

Daniel Ribeiro

22 anos, estudante de administração gestão pública.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked. *